Mulheres no varejo? Sim! Em busca de liberdade e desafio

A Kiskadi acredita no empreendedorismo das mulheres –  por isso, entrevistamos algumas das nossas clientes para saber um pouco mais da trajetória delas no setor do Varejo.

Anaiz Bandeira

Anaiz acabou tendo um quiosque por acaso. Ela era gerente em uma multi-nacional onde começou como trainee e ganhou experiência no setor de vendas. Durante um período na Bahia, resolveu trabalhar como atendente em um quiosque da Lado Z para juntar algum dinheiro e logo se destacou pela experiência com gerência, ficando amiga da franqueada. Um outro amigo da franqueada desejava abrir um quiosque em Porto Alegre e ela decidiu recomendar Anaiz para trabalhar no local, uma vez que sabia da intenção dela de retornar a Porto Alegre.

O novo franqueado, porém, não se adaptou ao modelo de negócio e Anaiz assumiu a franquia após apenas quatro meses. Quando ela assumiu, não havia dinheiro em caixa nem para pagar salários -, o quiosque já é dela há 5 anos, e hoje é plenamente sustentável. Anaiz acredita que as mulheres são mais versáteis e detalhistas e que isto fortalece sua presença no setor do varejo, onde essas qualidades são fundamentais.

Adriana Maggioni

Adriana tem formação em Farmácia Industrial e trabalhou quase vinte anos na iniciativa privada, em empresas como a Kimberly-Clark e a Melitta, como gerente de qualidade. Embora gostasse do trabalho, ela considerava muito limitante ter uma função em empresa-, ela queria poder ter a mobilidade de conhecer novas áreas, trabalhar com marketing, publicidade, lidar diretamente com fornecedores… enfim, poder participar de todas as áreas que são parte de uma empresa.

Além disso, o trabalho burocrático não fazia ela se sentir desafiada, porque cumprir horário não é sinônimo de produtividade: “Eu queria ter a possibilidade de trabalhar inclusive de madrugada se quisesse, o que já fiz várias vezes. Ter horários diferentes não significa trabalhar menos, às vezes significa trabalhar em dobro. Eu posso trabalhar mais, mas faço o que acredito que deva ser feito.” relata. Adriana também diz que esta possibilidade de moldar os horários é fundamental para quem tem filhos, pois os horários fixos das empresas onde trabalhava tornavam difícil dar atenção à filha.

Mara Cabezudo

Mara trabalhou por anos em comércio, com a área de vendas e gerenciamento de vendas. Ela decidiu abrir o próprio negócio e diz que “é motivador saber que, mesmo que você esteja trabalhando muito mais, você está cuidando de algo que é seu.”. Ela ama o que faz e diz nunca ter se arrependido de ter aberto uma loja. “Cuidar do próprio negócio é como cuidar de um filho -, demanda muito tempo e atenção. Você precisa ser multi-facetado e acompanhar as várias áreas nas quais ele está se desenvolvendo, e no final, compensa ver ele crescendo.”.

Ela conta como subestimou inicialmente a dificuldade do setor: “No início, por ter experiência com vendas, eu acreditava que seria fácil administrar a loja. Depois me dei conta de que a última coisa que eu faria é vender: eu precisava saber de contabilidade, lidar com fornecedores, marketing, publicidade-, tudo com o qual eu nunca havia me envolvido antes -, foi estimulante!”. “Hoje, quando as pessoas perguntam se Alicia é minha filha, eu respondo que não deixa de ser.”.

Clique aqui e agende uma demonstração da Kiskadi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clientes: saiba como estabelecer vínculos

Clientes: saiba como estabelecer vínculos

Clientes: não é mais novidade que o mercado não passa por um de seus melhores momentos. Mas como sobreviver ou até mesmo ter um crescimento do seu negócio?

Segundo a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, em média as empresas fidelizam 15% dos seus clientes. Estes chegam a representar até 65% de todo o seu faturamento. Ou seja, a melhor oportunidade para aumentar o seu faturamento está nos outros 85% que já conhecem o seu negócio mas por algum motivo não voltaram.

Para trazer o cliente de volta na sua loja, precisamos nos manter em contato com ele quando estiver longe. Como resultado, montamos 4 recomendações com exemplos práticos que você pode utilizar em seu negócio:

1. Crie motivos para o seu cliente lembrar de você quando estiver longe.

Uma boa estratégia é o desenvolvimento de um programa de fidelidade. Este programa deve instigar o seu cliente a comprar mais através de benefícios conquistados pelo acúmulo de pontos.

Seguindo esta ideia, uma segunda sacada muito boa é utilizar o próprio programa de fidelidade para aumentar a sua base de clientes. Incentivando a indicação. Ou pontuando em dobro os clientes que indicarem seus amigos. Melhor ainda se os indicados também receberem recompensas para conhecer o seu negócio.

Lembrando que, para um programa de fidelidade seja sustentável, o maior número possível de clientes devem aderir à iniciativa. Pois é o consumo deles que trará lucro. Ter uma equipe envolvida e comprometida a pontuar todas as vendas realizadas e incentivarem a adesão somam muito no sucesso desta estratégia.

Com um programa de fidelidade já rodando, através das informações coletadas, como o número de telefone, o email e seu histórico de compra, é possível saber bastante sobre o seu cliente, como por exemplo:

  • Quantas novas visitas/clientes a loja teve;
  • Quantidade de clientes que estão resgatando pontos;
  • Quais são seus melhores clientes;
  • Qual o padrão de consumo dos seus clientes.

Um bom programa de fidelidade precisa lembrar os seus clientes sobre os seus pontos, porque seu objetivo é trazer o cliente de volta. Então, lembre sempre o seu cliente de vir em sua loja resgatar os pontos. E que esses podem ser trocados por descontos ou brindes, ou que podem expirar.

O ideal é que o seu programa de fidelidade realize esta administração automaticamente, a partir que o cliente for cadastrado em seu sistema, ele realiza a gestão desta comunicação com o cliente, seja por SMS ou e-mail.

2. Reconheça o seu ciclo de recompras e anteceda as suas necessidades.

Em média, para cada produto existe um ciclo de recompra, um período após o qual o cliente volta à loja para comprar novamente. Descobrir o ciclo de recompra de seus produtos é muito importante, pois a partir desta informação pode-se desenvolver ações para reduzir este período e incentivar o seu cliente a voltar a sua loja. Você pode criar ofertas para os seus clientes nesses períodos. Dessa forma, você evita que seu cliente procure a concorrência.

Um case muito interessante é da Ótica Total em Cachoeirinha – RS. Após identificar que o ciclo de compra de um óculos de grau variava entre 300 e 500 dias, programou algumas mensagens automáticas que ao se aproximar deste período, incentivavam os clientes a realizarem suas recompras na loja.

3. Lembre-se de ocasiões especiais.

A sazonalidade e previsibilidade de datas especiais são ótimas oportunidades para promover as vendas da sua loja, além de possibilitar ao empresário se programar e antecipar sua comunicação.

Outra oportunidade que não se pode perder são as datas de aniversário dos seus clientes. Na hora de realizar o cadastro dos seus dados no seu banco de dados do seu CRM, não esqueça de pedir a sua data de aniversário!  Assim, você poderá enviar uma mensagem de aniversário ou ir além e criar uma promoção especifica e personalizada para o seu cliente.

Um case de uma empresa que soube aproveitar esta oportunidade foi o da loja de Produto Naturais Mundo Verde da Vila Zelina, em São Paulo. Ela enviou a seguinte mensagem de SMS para todos os clientes que estavam de aniversário durante o mês: “[Nome] bom dia. em comemoração do seu aniversario, você tem 10% de desconto. Valido ate 30/06, basta apresentar este sms. Mundo Verde Vila Zelina”.

Você também pode usar outras datas especiais como dia das mães e dia dos namorados. Ou até datas mais direitamente relacionados a seu negócio e seus produtos. Como a data de aniversário da loja.

Outro case interessante foi o da loja de produto naturais Mundo Verde/Iguatemi de Florianópolis. A loja aproveitou o Dia de Celíaco para presentear os seus clientes VIP com a seguinte mensagem “[Nome] boa tarde. Nesta quarta teremos muitas delicias e promoção para o Dia do Celíaco. Te esperamos! Mundo Verde Iguatemi Florianópolis”.

Dos 233 clientes que receberam a mensagem, 31 voltaram e gastaram R$ 5.214.

4. Identifique e recompense os seus melhores clientes.

Geralmente, quem trabalha em loja sabe de cabeça os 5-10 clientes que mais visitam a loja. Mas você sabe quem são os 50 ou 100 clientes que mais gastam na loja ao longo do ano? Ou os clientes que gastam acima da média a cada visita?

É importante ter um sistema que mostra esses dados. Você poderá usar esses dados em campanhas para recompensar esses clientes e fazer contato com eles de forma diferenciada.

Um ótimo case para apresentarmos foi o das lojas Casa do Estudante em Porto Alegre. A loja costuma ligar por telefone no final do ano para os clientes que mais gastaram na loja no ano anterior para lhe oferecerem brindes. Esses clientes recebem um kit agenda + caneta + adesivos + cartão de natal e um agradecimento.

Em conclusão, se você se interessou por nossas sugestões e gostaria de conhecer mais sobre a Kiskadi e como nossas soluções de podem ajudar a sua empresa a parar de perder oportunidades de criar vínculos com seus clientes, clique aqui.

1 Comment for “Clientes: saiba como estabelecer vínculos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SMS-Marketing vale a pena para o seu negócio?

SMS-Marketing vale a pena para o seu negócio?

Apesar da popularidade de novos aplicativos de mensagens como o WhatsApp, o SMS-Marketing continua sendo uma ferramenta muito usada na comunicação entre empresas e seus clientes. Especialmente no varejo onde pode ser recebido por qualquer aparelho de celular. Sem necessidade de acesso à internet.

O impacto nas vendas com SMS-Marketing

Mas qual é realmente o impacto nas vendas de campanhas por SMS para as lojas?

Analisamos o efeito de mais de 170 mil SMS enviados entre agosto e outubro de 2015. Nossa conclusão foi de que mais de 11% das pessoas que receberam o SMS retornaram à loja para comprar. E em menos de 30 dias.

Outra conclusão importante foi que a taxa de retorno variou de acordo com o tipo de campanha:

  • Respostas a pedidos de clientes. Quando a loja usa o serviço de SMS para avisar o cliente da chegada de produtos desejados por ele, a taxa de retorno para compra chegou a 20,5%, em menos de 30 dias;
  • Quando a loja usou o SMS para lembrar dos descontos. Ou vencimento de pontos no programa de fidelidade. Nesse caso a taxa de retorno para compra chegou a 13,63% em menos de 30 dias;
  • Para as campanhas promocionais. Liquidações ou eventos, enviadas para um grande número de clientes. Neste caso o retorno foi de 8,6% dos clientes, em menos de 30 dias.

As vendas decorrentes dos retornos dos clientes após a campanha de SMS somam entre 45 e 280 vezes o valor investido pela loja nessas campanhas. Isso significa que, para cada real investido pela loja em SMS-marketing, pelo menos 45 reais voltam para a loja em menos de 30 dias.

O SMS-marketing é, portanto, uma ferramenta extremamente eficaz, ao mesmo tempo que acessível, para o varejo melhorar a comunicação com os clientes e aumentar as vendas. Clique aqui e solicite uma demonstração do nosso serviço de SMS.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *